50 dias de mobilização Professores decidiram continuar a greve

    | Cliques: 64
  • 50 dias de mobilização Professores decidiram continuar a greve

    Professores decidiram continuar a greve em Assembleia realizada na terça-feira.Na segunda-feira em Belo Horizonte haverá reunião do comando de greve local em Ouro Preto quinta-feira dia 12 de Abril no auditório ao lado da igreja do Pilar às 19 horas para repassar informes relacionados à greve das escolas estaduais na região de Mariana e Ouro Preto o sindicato dos professores querem a aprovação da Lei que será votada na terça-feira que vem sobre a inclusão do piso dos professores na Constituição de Minas Gerais assim nosso estado passa a ser o primeiro estado do Brasil a garantir o direito dos professores na constituição estadual é um passo muito importante e por isso muitos professores aguardam a votação.

    A próxima assembleia será realizada no dia 18 de abril de 2018, às 14 horas, na capital mineira, no Pátio da ALMG.

    Durante a assembleia estadual desta terça-feira, os profissionais da educação avaliaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) apresentada pela Assembleia Legislativa e que tem como objetivo inserir o Piso Salarial na Constituição do Estado e, com isso, transformar essa questão numa política de Estado.

    Foram ouvidos 57 comandos locais de greve pela manhã durante o Conselho Geral, do qual participaram os comandos estadual e locais de greve.

    Ao longo de toda a semana, os comandos de greve se reuniram com a categoria em suas bases e avaliaram a proposta da PEC em todo o Estado. A proposta foi aprovada amplamente, sendo que 43 comandos de greve aprovaram a iniciativa da ALMG, nove comandos não decidiram e disseram que acompanhariam a decisão da assembleia estadual e dois comandos disseram não à proposta.

    É greve!

    Sobre a decisão de continuidade da greve, a assembleia estadual dos/as trabalhadores/as avaliou que a categoria não tem ainda motivos suficientes para suspender a greve, e isso é, segundo o Sind-UTE/MG um forte recado ao governo do estado, para que cumpra os acordos assinados.