SAAE culpa estiagem por falta de água. Sò que em 2020 choveu três vezes acima da média
    reportagem de 13/02/2020 do jornal O ESPETO : excesso de chuvas deixaram alunos sem aula. Foto deslizamento de terra na estrada para Monsenhor Horta.

    Janeiro de 2020 foi o mês mais chuvoso em 110 anos. 2020 foi um ano de muitas chuvas, só em Minas deixaram 53 mortos e mais de 50 mil desabrigados. Volume de chuva foi considerado três vezes acima da média. Em Mariana aconteceram enchentes, pontes foram levadas, estradas interrompidas com queda de barrancos.

    Segundo INMET, que monitora volume de chuvas, em Janeiro choveu de 329,1 mm. Janeiro de 2020 foi o mês mais chuvoso em 110 anos de medições pelo INMET em Belo Horizonte. Chuva continuou em fevereiro e março.

    Porém em nota o SAAE Mariana culpa falta de chuva, estiagem deste mês, e crescimento desordenado pela falta de água. Em nota a imprensa o SAAE Mariana informa que :

    “Com poucas chuvas, a cidade de Mariana passa por períodos de pouca oferta de água para distribuição, essencialmente nos bairros mais populosos e com pouca possibilidades de captação de água. Hoje o locais que mais sofrem com o abastecimento de água são Rosário e a região do bairro Cabanas. Mas, além da escassa possibilidade de captação, hoje a  região do bairro Cabanas, onde inclui-se também os bairros Santa Rita de Cássia, Vale Verde, Santa Clara e Cartuxa, já sente de forma imediata os efeitos da estiagem desde ano e do crescimento desordenado. Apesar da região possuir uma Estação de Tratamento de Água (ETA Santa Rita), esta obra foi projetada para atender um bairro com um número de moradores muito inferior ao que possui hoje. Com o crescimento natural dos bairros, das ocupações irregulares, a pouca oferta de água para captação e a violação das estruturas do sistema de distribuição de água, tem sido cada vez mais complicado manter um fornecimento de água de forma regular nesta região. O SAAE Mariana, junto com o poder executivo municipal, tem estudado novas maneiras de melhorar o abastecimento de água na parte alta do município, mas até que estas novas possibilidades sejam executadas, é preciso contar com a colaboração dos moradores na prática do uso consciente da água. Central de Atendimento SAAE Mariana 115 ou 3557-9300.” FIM DA NOTA DO SAAE.

    Porém em 2020 houve chuvas acima da média. Vejam o que foi publicado sobre o excesso de chuva em 2020:

    Os destaques de chuvas no Sudeste foram:

    • São Paulo registrou o maior índice acumulado de chuvas em fevereiro desde o começo das medições do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em 1943;
    • Rio teve o maior índice no mês desde 1996;
    • Belo Horizonte teve a maior marca desde 2014;
    • e Vitória também registrou valor acima da média, embora em fevereiro deste ano tenha tido menos chuvas que no mesmo mês em 2019.

    Segundo o meteorologista Cesar Soares, o aumento de chuvas na região pode ser explicado pela falta de variações de temperatura no oceano – essas alterações teriam afastado frentes as frias que causam concentração de tempestades, explica ele. Veja matéria completa acessando o site G1 da Globo: https://g1.globo.com/natureza/noticia/2020/03/03/por-que-fevereiro-de-2020-teve-chuvas-acima-da-media-no-sudeste.ghtml

    Efeitos das chuvas em 2020

    As chuvas afetaram centenas de cidades nos estados da região Sudeste:

    • Em Minas Gerais, 196 municípios decretaram estado de emergência. Mariana sofreu com chuvas, e teve muitas pontes destruídas e distritos imundados, como Cachoeira do Brumado.
    • No Espírito Santo, foram 22 cidades.
    • a cidade de São Paulo travou e enfrentou um cenário de caos em 10 de fevereiro.

    Segundo o site Clima Tempo somente em janeiro de 2020, a capital mineira recebeu 935,2 mm de chuva, que correspondem 58% a média de chuva anual. Choveu 184% (quase três vezes mais do que o normal) acima da média normal para janeiro que é de 329,1 mm. Janeiro de 2020 foi o mês mais chuvoso em 110 anos de medições pelo INMET em Belo Horizonte.28 de mar. de 2020
    Belo Horizonte atinge a média de chuva anual em menos de …www.climatempo.com.br 

    Com chuvas perto do triplo da média, MG tem 53 mortos em cinco dias

    Então quando na sua nota o SAAE MARIANA fala que ” Com poucas chuvas, a cidade de Mariana passa por períodos de pouca oferta de água para distribuição” os dados dizem o contrário, teve chuva sim, e foi muita. Tem pouca chuva agora em maio. Falta é um sistema de abastecimento capaz de armazenar água ou melhores captações.

    O QUE FALTA É GESTÃO NA DISTRIBUIÇÃO, É TER RESERVATÓRIOS. O problema não é falta de chuva. Quanto a informação do SAAE sobre crescimento desordenado já é outro assunto,pois não adianta culpar a própria prefeitura por criar bairros. E já temos novo bairro anunciado com mais de 1600 casas. De onde vira a água?

    Culpar a chuva por falta dágua em ano onde teve maiores chuvas é demais!

    Matéria publicada no jornal O ESPETO em 13 de fevereiro de 2020: Clique para ler no site ou leia abaixo:

    Barreira na estrada de Monsenhor Horta deixa  alunos sem professores Devido as fortes e constantes chuvas que tem abençoado Mariana hoje dia 13 de fevereiro de 2020 algumas escolas dos distritos não funcionaram devido a lama na rua, como Cachoeira do Brumado onde o pequeno rio transbordou, e também em Monsenhor Horta onde a estrada está com barranco impedindo a passagem. Ficamos sabemos que já se mobiliza equipe da prefeitura de Mariana para liberar a estrada porém é um trabalho perigoso pois ao tirar pode descer mais e tem que ir tirando até resolver. Também próximo ao posto João Ramos caiu um barranco interditando a estrada Mariana – Ponte Nova pela manhã, sendo assim alunos ficaram sem alguns professores que utilizam a estrada como acesso ao distrito de Monsenhor Horta, Furquim, Cachoeira do Brumado.  Acaiaca também sofreu com as chuvas, pois a enxurrada formou um rio pela rua principal, falta de um planejamento para escoar essa água .