Peixes cultivados na Penitenciária de Ribeirão das Neves I são doados para Apae

    Mais de 50 quilos de tilápias e traíras serão entregues a famílias atendidas pela associação do município

    Para receber notícias no seu WhatsApp clique aqui

    E para receber notícias da nossa página no Facebook

    De três lagoas localizadas na fazenda da Penitenciária de Ribeirão das Neves I – José Maria Alkimin saíram mais de 50 quilos de peixes que vão direto para as mesas de famílias atendidas pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do município. As tilápias e traíras cresceram, sem custo de criação, na unidade prisional. Quatro presos que atuam em atividades agrícolas da penitenciária fizeram a retirada dos peixes nesta semana.

    O diretor-geral da penitenciária, Marcelo Marshal Junior, destaca que a ação promove tanto a ocupação dos detentos quanto o trabalho social. “Neste momento de pandemia, isso é um pouco do que nós, da penitenciária, podemos fazer para ajudar quem está precisando. A Apae é uma instituição muito séria e comprometida, e nos sentimos gratos em poder contribuir de alguma forma”, afirma.

    A presidente da Apae de Ribeirão das Neves, Maria José Carneiro, reforça a importância da parceria. “Para nós, que representamos essas famílias, essa ajuda é muito gratificante”, diz.

    Projetos futuros

    A Penitenciária de Ribeirão das Neves I é a maior e mais antiga do Estado em território, com mais de mil hectares. Ela ainda abriga, em seu terreno, a maior reserva de Mata Atlântica do município. A unidade foi construída nos formatos de uma colônia agrícola, onde os detentos podiam trabalhar em atividades de agricultura, agropecuária e piscicultura. A produção é encaminhada para bancos de alimentos e instituições beneficentes.

    Um dos lotes da unidade prisional está sendo preparado para a instalação e o cultivo de uma nova horta. Segundo o diretor de Atendimento da penitenciária, Carlos Alexandre Gonçalves, ainda neste ano será possível fazer novas doações. “Queremos voltar a ter uma produção agrícola aqui, como foi no passado, para doar e ajudar instituições. Ficamos muito satisfeitos em poder disponibilizar esses alimentos para a Apae, que faz um trabalho importante aqui na cidade”, explica.

    Fotos: Tiago Ciccarini / Sejusp

    Mais informações para a imprensa:

    Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp)