Programa Estadual de Regularização Fundiária Rural realiza audiência em Santa Rita de Ouro Preto

    A equipe técnica da Emater ficará responsável pela juntada da documentação dos interessados

    Para receber notícias no seu WhatsApp clique aqui

    E para receber notícias da nossa página no Facebook

    Se inscreva no nosso canal do you tube para receber nossas reportagens, clique aqui

    Uma grande conquista para os produtores rurais de Ouro Preto foi a parceria entre a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Agropecuária, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural – EMATER e a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – SEAPA que apresentou o Programa Estadual de Regularização Fundiária Rural, ontem, 24 de agosto, em audiência pública no distrito de Santa Rita.

    Ficou definido em audiência a data para a juntada de documentos das pessoas interessadas, que será no dia 10 de setembro, no CRAS de Santa Rita de Ouro Preto, das 9h às 16h. A Secretaria Municipal de Agropecuária e a equipe técnica da EMATER ficarão responsáveis pelo recebimento da documentação e esclarecimento de possíveis dúvidas dos produtores rurais. Hoje, 25 de agosto, é realizada a audiência pública em Cachoeira do Campo, que será um polo de apoio para todos os distritos da região e que terá um cronograma definido para a juntada de documentação dos produtores cachoeirenses.

    Angelo Oswaldo, prefeito de Ouro Preto, reforça que esse programa é a concretização de um compromisso da atual gestão. “Vamos dar todo apoio ao morador da zona rural, aquele que trabalha na agricultura e na pecuária no nosso Município, que tem o seu terreno já ancestralmente, mas não consegue acesso à documentação. Hoje começamos um grande passo na vida do produtor rural ouro-pretano”.

    O secretário de Agropecuária, Fabrício Gonçalves, reforçou a importância da entrega correta dos documentos. “A EMATER e a nossa equipe irá elaborar um cronograma, um programa itinerante de visitação aos distritos, para aproximar dos produtores e para que eles possam entregar toda a documentação solicitada. O objetivo da audiência pública foi esclarecer os tramites do programa, que é extenso, para que todos estejam cientes dessa iniciativa”.

    O superintendente de Regularização Fundiária da Secretaria de Agricultura, Pedro Garcia, destacou a audiência como proveitosa e a participação significativa da comunidade. “Tivemos um retorno e esclarecemos o que é o programa, quem tem direito e as fases, e o governador Zema o colocou como um projeto estratégico e tem acompanhado mensalmente o progresso. Nossa meta é entregar 1500 títulos ainda este ano”.

    Segundo Pedro, agora será feito o cadastro dos produtores e a juntada de documentos pelos técnicos da EMATER que enviará à SEAPA. Após georreferenciamento* dos imóveis, a equipe da Secretaria de Estado de Agricultura dará o parecer favorável ou não à concessão dos títulos e “que, provavelmente, a finalização do processo e as entregas dos títulos será no ano que vem”, finaliza.

    * Georreferenciamento é o mapeamento de um imóvel rural referenciando os vértices de seu perímetro ao Sistema Geodésico Brasileiro, definindo sua área e sua posição geográfica. Serve para a regularização registral dos imóveis rurais, segundo a legislação (Lei 10.267/01 e Decretos 4.449/02 e 5.570/05).

    Programa Estadual de Regularização Fundiária Rural*

    O que é?

    A regularização fundiária de territórios tradicionalmente ocupados no Estado de Minas Gerais. Trata de política pública para o reconhecimento formal dos direitos territoriais, que consiste no conjunto de medidas jurídicas, ambientais e sociais, para garantir o cumprimento da função social da propriedade, a garantia das condições necessárias à reprodução cultural, social, econômica e a preservação dos recursos ambientais, de modo a garantir-lhes a transmissão, aprimorados, às gerações futuras, mediante titulação coletiva.

    Quem pode utilizar este serviço?

    Os povos e comunidades tradicionais do Estado de Minas Gerais, que são grupos étnicos culturalmente diferenciados que se auto definem, a partir das relações especificas com a terra, o parentesco, o território, a ancestralidade, as tradições e as práticas culturais próprias.

    Órgão responsável

    Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – SEAPA

    * Fonte: Site do Governo de Minas.

    Texto: Nathália Souza

    Foto: Ane Souz