Hei de amar-te em todas as estações
    Por: Roberto

    Eu vou te amar na primavera, plantar gerânios e rosas. E quando as folhas do gerânio e as pétalas das rosas caírem recolherei uma a uma, e com elas enfeitarei todos os lugares por onde for passar. Vou rega-las todas as manhãs para vê-las viçosas e receptivas como seu lindo sorriso. E quando meu amor transbordar deixarei que as lágrimas banhem gerânios e rosas, e nesse banho de amor vou te amar eternamente.

    Para receber notícias no seu WhatsApp clique aqui
    E para receber notícias da nossa página no Facebook
    Se inscreva no nosso canal do you tube para receber nossas reportagens, clique aqui

    Estarás na beleza e no aroma das flores, vou te amar mesmo se estiver distante, inebriado por essa magia inexplicável que suprime a lonjura, foge a razão, e como ondas que viajam no espaço une os corações apaixonados.

    Continuarei a te amar no verão, com a incandescência de um amor infindo, às vezes harmonizado pelas águas intensas e torrenciais próprias da estação.

    Rogarei a esse sol de verão, que não cesse em emanar seus raios ultravioletas para bronzear seu corpo meigo, e as borboletas pedirei para provocar-lhe sorrisos com seus bailados e evoluções magistrais e coloridas. Aos pássaros vou implorar acordes românticos, a trilha sonora do meu grande amor por ti.

    E não cessarei de te amar, sei que o outono virá, frutos amadurecerão, folhas cairão, e com as folhas caídas hei de fazer uma passarela, só para me perder na cadência dos seus passos e no barulho do seu caminhar quando seus pés encontrarem as folhas secas fazendo às vezes de tapete. Desejarei ainda que a brisa suave, toque seus cabelos como que carícias, como se fosse minhas mãos a senti-los.

    Ao final do outono, o inverno sempre dá seu show.  A lua cheia, o céu de brigadeiro, todo aquele azul soa como a imensidão do meu amor por ti. Parece o pano de fundo de uma grande tela de cinema onde a exibição principal é você por inteiro. O mais belo espetáculo do inverno.

    No inverno também tem frio, mas não faz mal, os casacos felpudos te aquecerão e ainda por cima darão certo charme a somar-se a sua estonteante beleza. Do inverno desejo as maravilhas da estação, geada e neve farão tudo mais bonito, aquém apenas de seu incomparável e deslumbrante encanto.

    Hei de amar-te em todo o tempo, em todas as estações. Aproveitar o espetáculo das flores, todas feitas para você.

    O calor do verão a vislumbrar uma mineiríssima queda d’água, nas montanhas de ferro e ouro.

    Presenciar a esperança do renascimento nas folhas de outono, ou nas frutas, alimento e saciedade.

    Agasalhar-me no congelante inverno, certo de que dentro de mim a chama do amor há de me aquecer em todo o tempo.

    Bela que meu coração escolheu para amar será que tu me amas ou se rende apenas a beleza das palavras?

    Oh deusa do amor! Ama-me em todas as estações. Estas subdivisões climáticas que com suas particularidades nos fazem admiradores desse complexo universo.

    Ama-me inspirada pela magia das estações, pelo romantismo que elas suscitam em nós. E se ainda for insuficiente apenas ama-me.