Mesmo após inauguração de poço artesiano moradores do bairro Nsa. Sra. Aparecida reclamam da falta d’água

    Por João B. N. Gonçalves

              Moradores do bairro Nossa Senhora Aparecida, em Mariana, reclamam da frequência com a qual têm enfrentado problemas relacionados ao abastecimento de água.

    Inauguração do poço artesiano pelo Ex-prefeito interino de Mariana Vereador Juliano Vasconcelos e o ex-vereador Tikim Mateus em abril de 2022

    A moradora Ludmila Pandolpho conta que o problema é frequente: “Está virando rotina, todo final de semana ou feriado há falta d’água”.

              A moradora também afirma que quando enfrentam problemas com a água e entram em contato com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Mariana, há demora no atendimento:

     “Geralmente, dizem que o problema foi detectado e será resolvido. Porém, na maioria das vezes, precisamos ficar ligando e pedindo caminhão pipa, que pode ou não atender com agilidade”, disse.


    Para receber notícias no seu WhatsApp clique aqui

    E para receber notícias da nossa página no Facebook
    Se inscreva no nosso canal do you tube para receber nossas reportagens, clique aqui

              De acordo com outros moradores, quando contatam o SAAE, é comum que ouçam diferentes justificativas para a falta de água no bairro, com a mais recorrente sendo relacionada a problemas com a bomba d’água que abastece o bairro.

     “As desculpas são as mais variadas, um dia é a bomba que parou de funcionar; em outro, alguém roubou alguma coisa da bomba, alguém fechou o registro que abastecia e a bomba ficou desligada”. diz nossa entrevistada.

              Ludmila Pandolpho fala que os moradores do Bairro Nossa Senhora Aparecida por vezes ficam em situações que considera complicadas, pois não conseguem saber quando ou não terá água em sua casa.

    “Cheguei em um ponto em que preciso monitorar minha caixa d’água ‘dia sim, dia não’ para saber se estamos recebendo água”. Afirma.

              Por conta da falta de água, práticas do dia a dia necessárias para o cidadão não podem ser realizadas da melhor maneira pelos moradores do bairro Nossa Senhora Aparecida que já chegaram a ficar cinco dias sem água, e com isso atividades como a limpeza da casa, lavagem das roupas, limpeza do quintal e cozinhar foram impossibilitadas de se fazer por conta dos problemas com o abastecimento.

              Outro problema relatado é a qualidade da água recebida, que de acordo com os moradores, fica, em alguns momentos, barrenta e com resíduos de minério.

    O SAAE Mariana informou que a água suja é um erro relacionado à rede de abastecimento, de acordo com o órgão, o problema foi identificado e resolvido.

    Em abril, foi inaugurado um poço artesiano no bairro Nossa Senhora Aparecida, que prometia melhorar a situação do abastecimento de água do bairro. A obra era desejo dos moradores e custou mais de R$400 mil aos cofres públicos. De acordo com o SAAE, a vazão do poço é de 12 litros por segundo, mais de 1 milhão de litros de água por dia.

    Os habitantes do bairro acreditaram que com a instalação do poço artesiano, os problemas com água reduziriam, o que não se tornou realidade.

     O local possui três bombas diferentes, e de acordo com o SAAE, a falta d’água pode se dar pela redução ou interrupção do abastecimento por uma das bombas.

    O SAAE Mariana pontuou três possíveis causas para esses problemas: entupimento no ralo; falha mecânica na bomba; e interrupção ou falha do fornecimento de energia em algum ponto onde as bombas operam, o que causa uma diminuição no abastecimento da localidade.

    Os moradores do bairro Nossa Senhora Aparecida afirmam que os problemas com o abastecimento são mais comuns em feriados ou finais de semana.

    O SAAE Mariana afirma que uma possível causa para o problema seja o aumento do consumo de água nesses dias.